terça-feira, 8 de março de 2011

Seminário Batista Regular do Sul

A história do Seminário Batista Regular do Sul (Paraná Baptist Bible Institute) é extraordinária. Resultou da combinação de três figuras singulares do movimento batista regular brasileiro, Clarence Anthrum Nickell, George Wells e Neal Marion Smith. C A e Thelma eram educadores teológicos de primeira grandeza, já haviam trabalhado no Seminário Batista Regular do Amazonas. C A era um pastor muito amoroso, voltado a formação de líderes e pastores, preocupado com o amadurecimento dos seminaristas. Amoroso e paciente, grande incentivador do estudo e da leitura. Dos missionários da Baptist Mid-Missions era o menos ortodoxo, provavelmente influência de sua formação interdenominacional. Não tinha simpatias pelo comportamento apologético. Lecionou nos primeiros anos do SBRS a disciplina de Síntese (comentários gerais sobre cada livro das Escrituras) e Atos dos Apostólos, o que fazia com grande maestria. Fundou a Igreja Batista Regular de Pinhais, na rua Rio  Paraná. A especialidade de Dona Thelma era a educação cristã, matéria na qual se dedicava de todo coração. Foi também professora de música.
Pastor George William Wells foi o teólogo, mentor intelectual, do Seminário. Ele definia os rumos doutrinários do movimento batista regular do Paraná, nos tempos de 1979 a 1984. Era conhecido pela posição fundamentalista, premilenista, pretribulacionista e anti-ecumenista que vociferava nos corredores do Seminário e nas orientações que ministrava nas disciplinas de Interpretação Bíblica, Levíticos, 1 Coríntios e Doutrinas Bíblicas. A respeito da doutrina do Espírito Santo elaborou apostila própria, visando enfatizar a posição anti carismática do Seminário. Sua esposa, Dona Maxine Wells, ensinou os primeiros seminaristas as noções de comportamento, boas maneiras e etiquetas sociais. Era para isto a pessoa mais indicada. O rigoroso homem que levava o SBRS em seus ombros, construindo o edificio doutrinário no que se fundamentaria a escola de pastores naqueles anos, era também um missionário capaz de chorar em momentos de dificuldade. Quando Hilário teve que deixar o Seminário, depois da reunião da Diretoria do SBRS, Pastor Jorge, como era chamado, chorou no púlpito da capela da instituição. O amor que demonstrava por Hilário, do qual o próprio Hilário, nunca teve dúvidas, lembrava a passagem de Gálatas 5.22-23.
Pastor Nilo (Neal Marion Smith) era autêntico pastor e exímio missionário. Buscador de almas, cuidava de cada um com um carinho pastoral inigualável. Era capaz de viajar distâncias para buscar uma alma ou um futuro pastor. A conversão de um ex-padre em Fortaleza resulta dessa paixão pelas almas. Era excelente conselheiro pastoral, acolhedor, amoroso, humilde e perdoador. Conversar com Neal Smith era como receber a absolvição dos pecados, de que Jesus tanto falou. Os cultos que presidia na Primeira Igreja Batista Regular de Curitiba eram de uma dimensão espiritual indescritível.
Em 1979 as atividades acadêmicas começaram em Vargem Grande. Os primeiros alunos foram chegando depois do carnaval e morando numa casinha (Shed) que no pátio do SBRS. No terreno havia, a casa onde os rapazes moravam, no princípio apenas cinco, Eugen Ziebel,  Jair Ribeiro de Souza, Juraci José Maria e Plínio Kremer. Eugen e Plínio vieram de Novo Hamburgo, da Igreja Batista Maranata, pastoreada então, onde George Wells trabalhara. Jair viera de São Paulo e Juraci, de Taboão da Serra, cuja igreja fugia a regra na questão de comportamento das demais igrejas batistas regulares. A casa era apertada para tantos. Anexo a casa de Pastor C A ficavam as meninas, Vera Lúcia (Campinas), Leoni (Novo Hamburgo) e Maria Donizetti Maffei (Lajeado-SP). Estes constituiam a turma pioneira, os rapazes no curso pastoral e as meninas na Educação Cristã, visto que os batistas regulares, então, não admitiam mulheres no ministério pastoral.
No ensino outros missionários vieram depois, John Thomas Burnette e Dona Merriana e Wesley Monteiro e Dona Tena. Dona Merriana e Dona Tena não se envolveram no trabalho diretamente. Merriana era uma missionária simpática, fisicamente doente. Dona Tena cuidava dos seminaristas quando trabalhavam com Wesley em Umbará.
Pastor João era um estudioso, primoroso da Educação Cristã e exímio mestre em Bíblia. De um equilíbrio doutrinário fora do comum, tinha fortes influências interdenominacionais. Além de Educação Cristã, ensinava Inglês.
Em 1981 ocorreu a formatura da área de Educação Cristã. Foi emocionante. Foi celebrada no pátio do SBRS, onde se jogava volei. A primeira turma do curso pastoral formou-se em 1982. Eram os primeiros futuros pastores que a safra produzia. Nem todos seguiriam o caminho, outros com mais ou menos sucesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário